morandi

Por Edilson José

AMEAÇADA
Uma suposta ameaça de morte feita por Jair Bolsonaro a ex-esposa Ana Cristina Valle poderá render prejuízos políticos a sua candidatura à presidência da república. A informação sobre o caso foi publicada pela Folha de São Paulo e faz referência a uma disputa judicial travada por Ana e Jair, que disputavam a guarda do filho. A Folha teve acesso a um telegrama enviado ao Itamaraty em 2011 com o seguinte conteúdo: “A senhora Ana Cristina Siqueira Valle disse ter deixado o Brasil há dois anos [em 2009] ‘por ter sido ameaçada de morte’ pelo pai do menor [Bolsonaro]. Aduziu ela que tal acusação poderia motivar pedido de asilo político neste país [Noruega]”, diz o telegrama. A Folha só teve acesso ao conteúdo divulgado porque recorreu a Lei de Acesso à Informação. Ana Cristina apesar de ex-esposa ainda usa o sobrenome Bolsonaro, é candidata a deputada federal e disse que a reportagem da Folha se trata de mídia suja.


FÉRIAS COLETIVAS
Os nossos 24 deputados estaduais deverão pegar uma semana de férias coletivas para trabalharem na campanha eleitoral. Apesar de um ou outro manifestar contrariedade, o fato é que os 22 atuais que estão concorrendo querem mais tempo para se dedicarem ao pleito. A intenção é encerrar a semana nesta quinta-feira e enforcar a semana inteira que antecede ao dia 7 de outubro. Dos atuais 24 deputados estaduais de Mato Grosso do Sul, apenas duas estão fora das disputas eleitorais deste ano. Graziela Machado abriu espaço para o retorno do seu pai, o “chinês” Londres Machado; e Antonieta Amorim, que experimentou e parece não ter gostado muito da política. E aí um gaiato perguntou: Mas se os deputados vão enforcar a semana que antecede o dia da votação e na semana seguinte vão fazer o quê? A semana seguinte é aquela famosa “saco cheio”. Portanto, para os representantes do povo o mês de outubro vai começar exatamente no dia 15.


CAMALEÃO
Os debates políticos se transformaram numa lavanderia de roupas sujas ao vivo e a cores. Em Mato Grosso do Sul os candidatos estão se digladiando, um querendo tirar mais vantagem que o outro para ficar bem na fita com os eleitores. E em um recente encontro, figura atual disparou que o adversário estreante é igual a camaleão. Sem saber se era um xingamento ou elogio, fiz pesquisa, mas nada ficou esclarecido. O camaleão pertence a família dos répteis, só que existem 80 espécies. Portanto, precisaríamos saber de qual espécie é o referido candidato. Depois descobri os pontos positivos do animal, um deles é a língua. Alongada, rápida e com a ponta grudenta. Outro ponto positivo são os olhos, independentes um do outro para movimentos, possibilitando uma visão de 360 graus. Será que o objetivo era dizer que o adversário tem língua afiada e uma ampla visão? Sei não, é melhor deixar prá lá.


NÃO ESTÁ MORTO
Diz o ditado que “não está morto quem peleia”. É assim que se apresenta o presidente Michel “Passando a Mão” Temer. Quando tudo parecia resolvido, o presidente que o trabalhador tem de “temer” voltou à tona e disse que ainda vai tentar aprovar no apagar das luzes do seu governo a famigerada reforma da previdência. Com um mandato que não conquistou nas urnas, qual autoridade teria o presidente com 1% de aprovação a vir propor uma reforma que atinge diretamente a vida de toda a população brasileira? Quem tem que falar de reforma são os candidatos que estão concorrendo ao cargo de presidente. Esses sim deveriam jogar limpo e dizer com todas as
letras o que pretendem fazer com a previdência. E desta forma, o eleitor/trabalhador poderia analisar cada uma antes de votar no dia 7 de outubro.


E POR FALAR…
…no coisa ruim, não é que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, resolveu proteger de vez o presidente Michel Temer. Ela que deveria estar lá pedindo para que se investigue, fez o contrário. Solicitou que o Supremo Tribunal Federal (STF), suspenda o inquérito que investiga Temer por supostos repasses ilegais da Odebrecht. Nunca é demais lembrar que Dodge era a segunda numa lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República para substituir Rodrigo Janot, que queria “comer o fígado do presidente”. Na hora de escolher, Temer foi lá e chamou a segunda colocada, deixando o primeiro da lista, Nicolao Dino, a ver navios. Agora está explicado o porquê da preferência.


TRAPALHADA
Os candidatos falam tanto de segurança pública que em certos momentos a gente chega até a acreditar naquilo que pregam. Um policial militar levava para Campo Grande um veículo Montana que havia sido apreendido na cidade de Sidrolândia carregado com cigarro contrabandeado do Paraguai. Detalhe, o policial seguia sozinho. Aconteceu o que poderia acontecer, mas as nossas autoridades nem desconfiavam. Os bandidos fecharam a Montana, humilharam o policial e tomaram de volta a carga e o veículo. Isso é que é inteligência policial.

Frase do dia:
“Cuidado em quem você confia. Lembre-se que o diabo era um anjo”. 

Dean Winchester